Economia do Golo
O desporto é a nossa paixão e a escrita o nosso vicio. Sempre dispostos a conjugar as duas artes, na certeza de uma junção sempre feliz... ousem descobrir!

O Monstro da Depressão

Dedicado a todos aqueles que subestimam a depressão.

A depressão faz-nos deslizar silenciosamente para uma realidade paralela de visões, premonições, presságios, praticamente para um mundo irreal.

Lembro-me de me sentir perseguido como o pior dos vilões, em cada pessoa que conhecia via o Diabo ou a Virgem.

Uma noite, a caminho de casa, comprei uma garrafa de água e pareceu-me que as moedas do troco estavam como que polvilhadas e polvilhadas com drogas para me apanharem. Imaginei que a Guarda estava à minha espera.

Lembro-me daquela vez que em que cheguei a casa à noite, não conseguia dormir, e esperei pelo dia seguinte e quando chegou disse: ‘f**k é outro dia’.

Antes de ter feito aquele gesto terrível, lembro-me que estava numa reunião na sede da Juventus. Quando saí, tive outra visão: havia um carro com matrícula Monte Carlo, ou talvez fosse suíço, fui para casa, apaguei a luz de vez. Acordei após oito ou nove dias no hospital.

A palavra suicídio é assustadora porque se põe tantas coisas a nu. É difícil explicar o meu gesto. Não estava consciente, o facto de não me lembrar de nada mostra que este gesto era algo que não me pertencia, mas que uma parte de mim o fez.

Talvez porque me tenha identificado demasiado com o futebolista Gianluca. No momento em que estes requisitos faltaram, a minha autoconfiança e amor pelos outros também falharam. Também fui muito afectado por Calciopoli porque tudo o que tinha feito no campo foi esquecido, dizimado. É como receber um murro e não compreender de onde veio.

Compreendi o gesto no dia em que o psiquiatra me explicou o que tinha acontecido. Ele disse-me: ‘conseguiste’. Tinha acabado de recomeçar a comer, estive em jejum durante três dias a tentar compreender. Ainda não consigo encontrar uma explicação para o facto de ter optado por experimentá-lo nas instalações. Talvez de alguma forma soubesse que era um lugar seguro para mim.

Não sei o que me espera hoje, tudo o que posso dizer é que agora estou realmente a viver, porque é como se já tivesse morrido uma vez. E isso comove-me realmente cada vez que penso nisso”.

Gianluca Pessotto, antigo jogador da Juventus, tentou-se suicidar, fruto de uma depressão, atirando-se de uma janela da sede do clube em 2006.

Pensemos  nisso..

E se alguém estiver em dificuldades, ajudemos…

Leave a comment