Economia do Golo
O desporto é a nossa paixão e a escrita o nosso vicio. Sempre dispostos a conjugar as duas artes, na certeza de uma junção sempre feliz... ousem descobrir!

“Juventus Deve-me 3 Milhões!”

” – Não me lembro de quando foi pago o meu último salário, mas sei que a Juventus ainda me deve dinheiro”. Assim falou Paulo Dybala, a 21 de Fevereiro último, aos oficiais da Guardia di Finanza que investigavam as declarações financeiras do emblema Bianconeri como parte do inquérito Prisma.

De acordo com o conjunto de magistrados que coordenam a investigação, a Juventus teria falsificado as suas contas com ganhos de capital fictícios e com o adiamento do pagamento dos salários dos jogadores durante o período Covid.

No caso específico de Dybala, escreve a edição de hoje do jornal La Gazzetta dello Sport, “o acordo com o argentino diz respeito à segunda manobra, a relativa à época 2020/21, com o actual avançado da Roma ainda a ter direito a ser pago em 3,7 milhões de euros pelo seu antigo clube, o que se refere aos pagamentos mensais que ele ainda tem de receber.

” – Quando fizemos o acordo para mudar os salários”, disse Dybala aos investigadores em Roma, “sabíamos que se eu ainda tivesse um contrato, eles pagariam os pagamentos em atraso nos seguintes, se em vez disso eu saísse, eles teriam de me pagar imediatamente”. Eu sei que em Abril de 2023 a Juventus tem a última oportunidade de pagar esses cerca de 3 milhões. Caso contrário, o meu advogado fará exigências por escrito, embora eu espere não ir tão longe. Quero o meu dinheiro de volta, mas sem qualquer processo judicial, evitando problemas para mim e para a Juventus.

Mas o pedido, confirmado pelo advogado do campeão mundial Luca Ferrari no Ministério Público, veio por e-mail no dia 12 de Maio. ” – Não tinha pedido isto (referência aos 8 milhões por temporada, primeiro oferecidos e depois cancelados pela Juve, )”, disse o jogador, “apenas os pagamentos em atraso”.

Os 3,7 milhões não dados a Dybala aparecem no balanço de 2021/22 da Juve sob o título “fundo de risco”, enquanto os destinados a Cristiano Ronaldo, por exemplo, não aparecem. O contrato privado entre o clube argentino e o clube foi encontrado, juntamente com outros, tendo sido assinado por ambas as partes, mas não foi registado na Liga. Por esta última razão, as pretensões do jogador correm o risco de ser desqualificadas pelo Ministério Público Federal. Isto, contudo, não diz respeito a Ronaldo neste momento, uma vez que a escrita privada encontrada pelos investigadores só é assinada pelo clube, mas não pelo português.

Leave a comment